“As brasileiras ainda alisam por falta de opção”, diz cofundador da Deva Curl

No momento em que o cabelo cacheado e crespo está sendo redescoberto e muito mais valorizado, nada mais justo que conversar com um dos maiores defensores dos caracóis: o cabeleireiro e cofundador da marca Deva Curl, Denis da Silva.

Em um papo bem informal, Denis, que é sócio do salão Devachan em Nova York, explica por que os cacheados têm ganhado espaço, o que ainda precisa melhorar e dá dicas preciosas de como cuidar dos caracóis. Confira a seguir!

 

​Cachos de Verdade: Atualmente, as brasileiras estão vivendo um momento de redescoberta dos cachos. Na sua opinião, por que isso está acontecendo?

Denis: Pela primeira vez, a mídia está dando atenção ao público cacheado. Além disso, as pessoas estão percebendo os danos causados ao cabelo pelas escovas progressivas. É um momento de mudança muito grande.

 


​CdV: O Brasil é um país em que 70% da população tem cabelos cacheados, ondulados e crespos. Por que, mesmo assim, as pessoas ainda preferem alisar?

D.: As brasileiras ainda alisam por falta de opção. Os salões ainda não estão preparados para dar a elas o caminho do natural. Por isso, lidar com o cabelo que elas têm é um sofrimento e o cacheado continua sendo marginalizado no salão. Consequentemente, ela continua seguindo a opinião do cabeleireiro.

denis-silva-div
Para Denis, poucos salões estão preparados para dar às cacheadas o caminho do cabelo natural.


CdV: Você pode contar um pouco sobre a história da Deva Curl? Quando surgiu a ideia de criá-la e a partir de qual necessidade?

D: A Deva Curl foi criado em 1997, em Nova York (EUA). O alisamento foi desenvolvido para ser uma mágica que resolvesse o problema do frizz. Com o tempo, as pessoas descobriram que, na verdade, era uma droga porque não resolvia o efeito arrepiado. Os produtos Deva Curl foram criados a partir da composição natural do cabelo com a intenção de cuidar do cacho devolvendo o condicionamento natural dos fios.


“Sempre digo que é muito mais fácil ensinar alguém

sem experiência com cabelo do que uma que já sabe tudo.”


​CdV: Como são os cursos ministrados pela marca? Eles são voltados apenas ao cabeleireiro ou é aberto a todos os interessados? O que é ensinado nas aulas?

D.: O curso está aberto a todas as pessoas, cacheadas, cabeleireiros ou pessoas que queiram ou não entrar na profissão. Sempre digo que é muito mais fácil ensinar alguém sem experiência com cabelo do que uma que já sabe tudo.



​CdV: Na sua opinião como profissional, por que no Brasil ainda faltam cabeleireiros especializados em cacheados/crespos?

D.: O Brasil ainda está com falta com cabeleireiro que saiba lidar com cachos porque a demanda pelo liso ainda é muito alta. O cabeleireiro não entende de cacho, ele tem que recomeçar a sua educação para entender. O cabelo liso é um só, de cima até em baixo. Já o cacheado, não. Temos mais de 140 tipos de cachos. Para que ele possa fazer um trabalho muito bem feito, ele tem que fazer cursos para entender a mexer em cada tipo de cacho. Mas isso também aconteceu nos Estados Unidos e eu tenho certeza que em um futuro muito breve teremos muitos cabeleireiros especializados.

 

“Na verdade, o erro é um só: a cacheada está

sempre procurando um milagre

e por isso ela cai em um monte de armadilha.”



​CdV: Quais são os três maiores erros na hora de cuidar dos cachos, tanto por parte do cabeleireiro quanto pela cacheada?

D.: Por parte dos cabeleireiros, começa com o corte, que nunca deve ser molhado e com os cachos penteados.

O segundo erro é gostar de xampu, de achar que tem que limpar demais o cabelo. A terceira coisa é usar produtos com silicone, que cria uma barreira que impede a penetração do condicionamento nos fios.

Outro erro é o manuseio das mãos, de usar os dedos para desembaraçar os fios secos.

Lavar os fios com água quente resseca principalmente o topo da cabeça, causando ainda mais frizz.

Outro são as propagandas milagrosas de produtos para cabelo cacheado. Na verdade, o erro é um só: a cacheada está sempre procurando um milagre e por isso ela cai em um monte de armadilha.



​CdV: Atualmente, quais são os ativos mais poderosos para manter a saúde dos caracóis?

D.: A melhor maneira de tratar o cabelo é com matéria botânica. Como o cabelo é formado por 89% de proteína, 1% de mineral e 10% de condicionamento natural, quando o cacho está maltratado, está faltando condicionamento natural. Quando a cliente cuida do cabelo com produtos ou até mesmo com ingredientes naturais que contenham manteigas e óleos, como o óleo de oliva ou a manteiga de cacau, a saúde do fio melhora muito. Em termos de produto, nós na Deva Curl tentamos ao máximo colocar manteigas dentro do nosso cosmético para resolver o problema do ressecamento.

linha-deva-curl-div
O grande segredo dos produtos Deva Curl, segundo Denis, são as manteigas e óleos naturais usados na formulação.

 

​CdV: Você pode dar algumas dicas de ouro para deixar os cachos sempre bem definidos e bonitos?

D.: A partir de agora, vou tentar colocar na página da Deva Curl uma dica por semana. O maior conselho é pesquisar sobre o cosmético ideal para o seu tipo de cacho. Garanto que a Deva Curl vai ser o melhor produto. Além disso, pesquise e encontre o cabeleireiro certo porque o segredo mesmo é um bom corte e um bom produto.

 

Siga a página da Deva Curl no Facebook!

Crédito da home: curl via photopin (license)

Comentários

comentários